segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

GOLEADORES PORTISTAS - Nº 82












PRATAS - Goleador Nº 82

Apontou 24 golos em 45 jogos com a camisola do FC Porto, durante as três temporadas ao seu serviço (1940/41 a 1942/43).

Carlos Joaquim Pratas, nasceu no dia 1 de Janeiro de 1916, algures em Portugal (supostamente na zona de Lisboa)  e já não se encontra entre os vivos.

São quase inexistentes as informações disponíveis sobre este atleta e tudo o que consegui apurar é que terá tido os primeiros contactos com a bola de futebol a sério, em meados dos anos 30, no Carcavelinhos Football Clube, que por fusão com o União Foot-ball Lisboa, em 1942, deu origem ao Atlético Clube de Portugal.

Pratas jogou cerca de cinco temporadas no Carcavelinhos, no fim das quais se transferiu para o FC Porto, na época de 1940/41, protagonizando a primeira transferência daquele clube para os Dragões.























De azul e branco vestido, Pratas fez a sua primeira aparição oficial, no dia 20 de Outubro de 1940, no Campo da Constituição, frente ao Boavista, em jogo a contar para a 3ª Jornada do Campeonato Regional do Porto, com gorda vitória portista por 7-1, com o avançado portista a inaugurar o marcador e a fazer também o 5º golo. Nesta competição haveria de fixar o registo de 27 jogos realizados e 25 golos marcados, sendo  duas vezes Campeão Regional, das três participações.

Na competição de nível nacional, mais precisamente o Campeonato Nacional, Pratas estreou-se no dia 29 de Dezembro de 1940, no Campo do Lumiar, em Lisboa, contra o Sporting, em jogo a contar para a 1ª Jornada, com derrota pesada, por 5-1. 

Consta que foi dele o primeiro Hat-trick frente ao Benfica, a 30 de Março de 1941, no Campo do Lima.


E ao cabo de 82 apresentações aconteceu o insólito de não poder apresentar a fotografia do atleta, por não ter encontrado alguma, com o mínimo de qualidade exigível. Pelo facto apresento as minhas desculpas.

Fontes: Almanaque do FC Porto, de Rui Miguel Tovar; ZeroaZero. 

quarta-feira, 19 de Novembro de 2014

INTERNACIONAIS PORTISTAS EM ACÇÃO - ÚLTIMO ROUND DE NOVEMBRO

No último «round» da participação portista, no jogos de selecções deste mês, os mexicanos Diego Reyes e Hector Herrera conheceram o sabor amargo da derrota (3-2), frente à modesta Bielorrússia, em Borisov, em jogo amigável. Ambos começaram no banco de suplentes e entraram no segundo tempo (Herrera aos 54' e Reyes aos 89'). A selecção mexicana esteve em vantagem no marcador por duas vezes, mas erros defensivos primários deitaram tudo a perder;

Em Ljubljana a Colômbia bateu a Eslovénia, por 0-1, em jogo particular em que Jackson Martinez foi titular, dando o seu lugar, curiosamente, ao outro Dragão, Juan Quintero, aos 65 minutos;




















Em Wuhan, o brasileiro Kélvin ajudou na vitória da equipa Olímpica do seu país (2-1) sobre a China, sagrando-se campeão do respectivo Torneio. O jovem portista foi suplente, chamado ao jogo durante a segunda parte;



















Danilo e Casemiro estiveram na vitória do Brasil sobre a Áustria (2-1), em jogo particular jogado em Viena. O defesa direito actuou todo o tempo enquanto o médio apenas jogou os últimos 8 minutos. Alex Sandro voltou a não sair do banco.




















Ricardo Quaresma voltou a ser decisivo, agora frente à Argentina (1-0), em Manchester, em jogo de carácter particular. O avançado portista foi lançado no jogo no início da segunda parte e autor do cruzamento teleguiado que resultou no único golo da partida, marcado de cabeça por Raphael Guerreiro, já em tempo de compensação, garantindo a vitória frente a um adversário que Portugal não derrotava há mais de 40 anos;





































Em Abidjan, a Costa do Marfim impôs o empate de que necessitava (0-0) ao Camarões de Aboubakar, que foi titular. Ambas as selecções estão qualificadas para a fase final do CAN/2015; 


Por sua vez, a Argélia, já apurada e com o primeiro lugar assegurado do seu Grupo, foi ao Mali perder por 2-0, com Brahimi no banco dos suplentes e a entrar apenas aos 57 minutos.



terça-feira, 18 de Novembro de 2014

GOLEADORES PORTISTAS - Nº 81












CLAYTON - Goleador Nº 81

Apontou 25 golos em 117 jogos que realizou com a camisola do FC Porto, durante as 4 temporadas ao seu serviço (1999/2000 a 2002/03).

Clayton Ferreira da Cruz nasceu em 19 de Julho de 1975, em São João do Paraíso, Minas Gerais, Brasil. Começou a dar os primeiros pontapés na bola nas escolas de formação do Atlético Mineiro, clube onde se tornou profissional e representou até 1997. Passou depois pelo América de Natal (1999), antes de emigrar para Portugal, com destino ao Santa Clara, para cumprir a época de 1999/2000. Médio ala de pés de veludo e remate mortífero, a sua veia goleadora acabou por despertar a cobiça de vários clubes portugueses e em Dezembro do mesmo ano, aproveitando a janela de transferências de Inverno, mudou-se para o FC Porto, a troco de 367.500 contos.






















A sua estreia oficial de Dragão ao peito aconteceu no dia 20 de Dezembro de 1999, no Estádio das Antas, em jogo da 15ª jornada do campeonato nacional, contra o Farense, que o FC Porto ganhou, por 5-0, com o brasileiro a começar no banco e a ser chamado pelo técnico Fernando Santos, a partir do minuto 63, entrando para o lugar de Capucho.

Teve sempre muitas dificuldades para se afirmar como titular, apesar das suas inegáveis qualidades, acabando por servir de moeda de troca com Ricardo Fernandes, do Sporting, na temporada de 2003/04. Durante a sua estadia nas Antas, ganhou títulos, apaixonou-se pelo Clube, considerando muito mais tarde, ter sido o Clube da sua vida.










No Sporting (2003/04) reencontrou Fernando Santos, mas mesmo assim foi pouco utilizado, participando apenas em 9 jogos. No final da temporada foi emprestado ao Penafiel onde jogou regularmente, mas só por uma época (2004/05).

Na temporada de 2005/06, passou a representar o Vitória de Guimarães, mas aqui também não foi feliz. Fez 7 jogos e em Março de 2006, regressou ao Brasil para representar o Sport Clube do Recife para acabar essa época.

Regressou ao Penafiel (2006/07) onde fez toda a temporada, emigrando para o Chipre onde representou 3 emblemas. O Alki Lanarca (2007/08), o Omonia Nicosa (Julho a Dezembro de 2008) e o AEL Limassol (Janeiro de 2009 a Junho de 2010).

Depois da experiència no Chipre, decidiu voltar ao Brasil, representando o Serrano-BA, pondo ponto final à sua carreira em 2012.

Palmarés ao serviço do FC Porto (6 títulos):
1 Campeonato nacional (2002/03)
3 Taças de Portugal (1999/2000, 2000/01 e 2002/03)
1 Supertaça Cândido de Oliveira (2000/01)
1 Taça UEFA (2002/03)

segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

INTERNACIONAIS PORTISTAS EM ACÇÃO (CONT.)

Em período de interregno das competições de clubes, multiplicam-se os jogos das selecções e a participação de jogadores portistas nesses confrontos.

Nos últimos dias mais três atletas do FC Porto estiveram envolvidos em competições, com performances muito interessantes.







Foi com um golo de Aboubakar que os Camarões garantiram a presença na fase final da CAN, que se vai realizar entre os dias 17 de Janeiro e 8 de Fevereiro de 2015, na Guiné-Equatorial, depois da desistência de Marrocos, país inicialmente indigitado.

O avançado do FC Porto começou o jogo no banco, tendo entrado aos 64 minutos e 7 minutos depois apontou o único golo do encontro contra a República Democrática do Congo.
























Brahimi apontou na noite de Sábado o o último golo da vitória da Argélia (3-1) sobre a Etiópia, garantindo à sua equipa o primeiro lugar do Grupo B de qualificação para a fase final da CAN, competição para a qual já estava apurada.

Para além do remate certeiro o médio portista esteve envolvido nas jogadas dos outros dois golos.




















Brahimi é o nº 11, último em baixo, da esquerda para a direita


A competir no Torneio particular em Wuhan, na China, com jogos de dois em dois dias está a equipa Olímpica do Brasil. O portista Kélvin, que foi titular no primeiro jogo encontro contra a Austrália, foi agora suplente utilizado na vitória brasileira frente à Coreia do Sul, por 3-0.

Kélvin começou no banco sendo lançado no decorrer da segunda parte.



sábado, 15 de Novembro de 2014

INTERNACIONAIS PORTISTAS EM ACÇÃO

Os atletas internacionais portistas continuam a dar os seus contributos às diferentes selecções nacionais.

Depois de Reyes, Herrera, Danilo e Casemiro, foi a vez de mais 7 portistas entrarem em acção.

































Rúben Neves e Ricardo foram titulares no jogo amigável que os Sub-21 portugueses realizaram em Burnley, frente à Inglaterra, que terminou com uma derrota por 3-1. O médio portista foi substituído aos 83 minutos enquanto o avançado só jogou a primeira parte;

No Torneio da China está a equipa Olímpica do Brasil para efectuar 3 jogos e Kélvin foi titular, jogando os primeiros 21 minutos do 1º encontro, sendo depois substituído. A partida foi contra a Austrália e o resultado foi um empate a duas bolas;

Ricardo Quaresma, entrou aos 70 minutos e foi a broca que abriu a defensiva chilena, na vitória portuguesa por 1-0. O «Mustang» portista esteve na jogada do golo, sendo mais uma vez decisivo;




















Os colombianos Juan Quintero e Jackson Martinez foram utilizados  frente aos Estados Unidos, em Londres, aparentemente para somarem internacionalizações pois só foram chamados ao jogo nos últimos 2 minutos! A Colômbia venceu por 2-1;

Finalmente, o jovem central chileno de 20 anos, contratado esta temporada pelo FC Porto e que vem fazendo a sua adaptação na equipa B, Igor Lichnovsky, fez a sua estreia pela selecção principal do seu país, actuando nos 90 minutos do jogo contra a Venezuela, que os chilenos golearam por 5-0.


sexta-feira, 14 de Novembro de 2014

COM QUARESMA A VITÓRIA FOI MAIS FÁCIL

















FICHA DO JOGO

























Decididamente os jogos contra adversários mais fracos, são os que representam maiores dificuldades para os portugueses. Hoje, frente à modesta Arménia, Portugal voltou a sentir na pele a incomodidade de jogar contra uma equipa muito fechada no último terço do terreno e com capacidade para explorar, de forma organizada, inteligente, consistente e muito a propósito, o contra-ataque que levou muito perigo, por várias ocasiões, à baliza defendida por Rui Patrício.

Fernando Santos teve de encontrar soluções para suprir algumas lesões e apresentar uma equipa capaz de cumprir um plano de jogo vitorioso. Isso passava por ter jogadores experientes e pacientes, para aproveitar da melhor forma e no melhor momento as brechas que acabariam por se abrir no muro defensivo do adversário.

Os «velhos» Bosingwa e Hélder Postiga (dois regressos) mais o jovem Rafhael Guerreiro (estreia na equipa principal) foram os eleitos para se juntarem aos consagrados do novo seleccionador nacional.

As dificuldades de penetração na área da Arménia, conforme previamente previstas, foram sendo cada vez mais evidenciadas com o decorrer dos minutos, tanto mais que os criativos portugueses, em noite de menor inspiração iam perdendo muito facilmente o último passe, a última decisão, facilitando a vida a quem tem de defender.

Por isso, durante toda a primeira parte, Portugal não foi capaz de produzir uma única ocasião de golo flagrante, pertencendo ao seu adversário os momentos de maior apuro junto das duas balizas.

No recomeço a equipa portuguesa entrou mais ameaçadora, mas sem conseguir criar muito perigo. A troca de Postiga por Éder colheu alguns efeitos, com Portugal mais próximo da baliza contrária e as oportunidades de golo a aparecerem mas a serem desperdiçadas por falta de eficácia. O atacante bracarense esteve perto do golo por, pelo menos duas ocasiões, uma das quais salva pelo ferro da baliza.

Aos 70 minutos, Fernando Santos decidiu apostar em Ricardo Quaresma, recebendo uma das maiores ovações da noite. 




















A subida de produção foi evidente. Mais acutilância e velocidade ao ataque português, foram os condimentos que o «Mustang» deu ao jogo. A bola que esbarrou no poste, cabeceada por Éder, saiu de um canto bem executado pelo «ciganito». Esteve na jogada do golo, entrando na área com a arrogância que lhe é peculiar, em boa posição disparou uma bomba, o guarda-redes contrário correspondeu com uma defesa extraordinária mas não evitou que a bola ressaltasse para Nani fazer a recarga, com a bola a embater num defesa e a sobrar para Ronaldo que não perdoou.

Estavam garantidos os três preciosos pontos, importantes para manter acesa a ambição da qualificação directa para a fase final do Euro/2016.

quinta-feira, 13 de Novembro de 2014

INTERNACIONAIS PORTISTAS EM ACÇÃO

Diego Reyes e Hector Herrera foram titulares no triunfo do México na Holanda. Danilo e Casemiro participaram na goleada do Brasil à Turquia.

Na Arena de Amesterdão, em jogo amigável de preparação, o México bateu a Holanda, por 3-2, com os dois internacionais portistas a cumprirem os 90 minutos do jogo. Herrera esteve na assistência para o primeiro golo do encontro.

O holandês Martins Indi, inicialmente convocado, foi posteriormente dispensado por apresentar síndrome gripal.


Diego Reyes, nº 5, o último em cima, da esquerda para a direita e Hector Herrera, nº 6, é o 4º em baixo, pela mesma ordem

No Estádio Sukru Saracoglu, em Istambul, Danilo foi titular e cumpriu os 90 minutos do jogo amigável, entre a Turquia e o Brasil que terminou com uma goleada, por 4-0 a favor dos brasileiros. O defesa portista esteve em bom plano e foi dos pés dele que saiu o cruzamento que originou um auto-golo de um defesa turco. Casemiro só foi lançado aos 73 minutos, tendo uma participação sóbria.

















Danilo, nº 2, o último em pé, da esquerda para a direita

Alex Sandro, também convocado, não foi utilizado.