sexta-feira, 3 de julho de 2015

INTERNACIONAIS PORTISTAS (ACTUALIZAÇÃO)












Yacine Brahimi - Internacional E67: Vestiu a camisola da selecção principal da Argélia por 22 ocasiões (9 pelo Granada e 13 pelo FC Porto), tendo apontado 4 golos. Filho de pais argelinos, mas nascido em França, Brahimi, depois de ter representado os escalões de formação da selecção gaulesa, acabou por optar definitivamente pela selecção argelina, estreando-se na equipa principal no dia 26 de Março de 2013, em Blida, frente ao Benim, em jogo de qualificação para o Mundial de 2014, com vitória por 3-1.

Enquanto atleta do FC Porto voltaria a envergar a camisola do seu país, para concretizar a sua 10ª internacionalização, no dia 6 de Setembro de 2014, em Addis Abeba, frente à Etiópia, em jogo de qualificação para a CAN/2015, com vitória por 2-1 e um golo da sua autoria.

Brilhou a grande altura na fase final do Mundial do Brasil (2014), onde «explodiu» definitivamente, saltando para o corredor da fama do futebol. Em Janeiro/Fevereiro de 2015 esteve também na fase final da CAN/2015, onde não atingiu o mesmo brilhantismo.



Yacine Brahimi nasceu no dia 8 de Fevereiro de 1990, em Paris, França. Dividiu a sua formação por  três emblemas franceses, começando no modesto ASB Montreuil, passando depois por CO Vincennes e Stade Rennes, onde concluiu a formação e foi lançado na equipa principal em 2010, depois de um empréstimo por uma temporada (2009/10) ao Clermont Foot Auvergne 63, do segundo escalão.

O argelino foi inicialmente olhado com alguma desconfiança em função da sua baixa estatura (1,75 m), mas rapidamente desfez essa ideia mostrando a sua grande capacidade de drible (finta curta e desconcertante), velocidade com bola colada aos pés, arrancadas imprevisíveis e intuição pelo golo.

No Rennes assumiu-se como o jogador mais influente da equipa até ser cobiçado pelo Granada, de Espanha, , clube que passou a representar desde Agosto de 2012, onde voltou a ser o «maestro» do ataque e a ter papel de destaque.

Depois veio a grande «montra» do Mundial do Brasil, onde a performance do atleta acabou por despertar grande cobiça.

Curiosamente ou talvez não, foi o FC Porto que melhor se movimentou no mercado e conseguiu o seu concurso a partir de Junho de 2014, num contrato de cinco temporadas e com uma clausula de rescisão de 50 milhões de euros.

Brahimi não defraudou as expectativas, fazendo um arranque de época espectacular, onde emergiram todas as qualidades de que vinha rotulado. Exímio driblador, capaz de por a «cabeça em água» os seus adversários, velocidade estonteante, colocação da bola nos seus companheiros melhores colocados, espontaneidade no remate e golos fenomenais, fizeram a delícia dos portistas até à ida para a CAN, em Janeiro deste ano.

Regressou fisicamente debilitado e só esporadicamente foi capaz de mostrar um pouco do perfume do seu futebol.

Nesta sua primeira época de dragão ao peito, Brahimi foi o quarto jogador mais utilizado do plantel, tendo participado em 42 jogos (28 CN; 1 TP; 2 TL e 11 CL) e apontado 13 golos (7 CN e 6 CL), cotando-se como o segundo melhor marcador do FC Porto.

Apesar das ofertas tentadoras para a sua transferência, os responsáveis azuis e brancos parecem dispostos a continuar poder contar com os seus serviços, pelo menos mais uma época.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

GOLEADORES PORTISTAS - Nº 109












FREITAS - Goleador Nº 109

Apontou 16 golos em 35 jogos, com a camisola do FC Porto, durante as cerca de cinco temporadas ao seu serviço (1944/45 a 1948/49).

Trata-se de um dos raros atletas que passou pelo FC Porto de quem não existe informação suficiente disponível que possa permitir construir a sua biografia.

Tudo quanto consegui apurar foi que se chamava Manuel Adriano Freitas, que fez parte do plantel dos Dragões, nas épocas acima referidas e que se estreou na equipa principal em 25 de Março de 1945, no Campo da Santa Cruz, em Coimbra, frente à Académica, em jogo a contar para a 16ª jornada do Campeonato nacional, com vitória portista por 3-1, sendo o terceiro golo da sua autoria. Nessa época (1944/45) apenas fez os três últimos jogos do campeonato, registando golos em todos eles.

Parece ter sido um avançado com faro de golo, apesar da sua fraca utilização, como documenta o quadro de participações abaixo.
























Nas três primeiras épocas foi também utilizado no Campeonato Regional do Porto, onde conseguiu a bela performance de 25 golos em 27 jogos realizados, contribuindo para 1 título regional.

Lamento não poder ser mais esclarecedor, aproveitando para pedir desculpa da fraca qualidade da imagem que consegui arranjar.

Fonte: Almanaque do FC Porto, de Rui Miguel Tovar


sábado, 27 de junho de 2015

EQUIPAMENTOS 2015/16

O FC Porto já divulgou os três equipamentos para a próxima época, da responsabilidade  da New Balance.































No equipamento principal destaque para o regresso às três listas azuis, complementadas com duas brancas, às quais se juntam outras, mais pequenas na horizontal, nos lados e nas costas, que agora são completamente azuis. As mangas brancas com fumo azul tem um toque subtil da cor laranja das costuras.































A tonalidade cacau, com faixas azuis subtis (nas mangas e no peito), domina o segundo equipamento, constistuindo um novo padrão de cores,  demasiado ousado e ao mesmo tempo inédito.
































A pensar na Champions League, a New Balance concebeu o terceiro equipamento numa abordagem minimalista às cores que caracterizam o FC Porto,  camisola branca, com azul na parte de cima do peito e nos contornos, bem como nas mangas. Os calções brancos apresentam uma costura lateral em azul e as meias são também brancas.

Todas estas versões apresentam características técnicas de alta performance (sistema NB Dry) que mantem o corpo do atleta fresco e seco, alé de se adaptarem rapidamente à forma corporal (sistema NB flex), que facilita os movimentos.

A minha opinião é há muito conhecida. Sou um acérrimo defensor das cores azul e branco, as únicas que fazem sentido nos equipamentos do Clube. Todas as outras são «modernices», algumas a roçar a idiotice.

Fonte: Site oficial do FC Porto

quinta-feira, 25 de junho de 2015

INTERNACIONAIS PORTISTAS (ACTUALIZAÇÃO)












Vicent Aboubakar - Internacional E66: Vestiu a camisola da selecção principal dos Camarões em 37 ocasiões (4 pelo Coton Sport Garoa, 15 pelo Valenciennes FC, 5 pelo FC Lorient e 13 pelo FC Porto), sendo autor de 10 golos, oito dos quais no decorrer da época que terminou, enquanto atleta azul e branco.

Aboubakar passou pelas selecções de formação, destacando-se nos Sub-20 e Sub-23. A sua estreia na selecção principal do seu país aconteceu no dia 29 de Maio de 2010, em Klagenfurt, num amigável frente à congénere da Eslováquia, com um empate a um golo.

Enquanto atleta do FC Porto, regressaria à sua selecção para concretizar a 25ª internacionalização, no dia 6 de Setembro de 2014, frente à Rep. Dem. do Congo, em jogo de qualificação para a CAN/2015.

Apesar de ainda muito novo (23 anos), já esteve presente em 3 fases finais dos grandes certames futebolísticos: 2 Campeonatos do Mundo (2010 e 2014) e 1 CAN (Janeiro de 2015).

Jogador rápido, forte fisicamente e com propensão para arriscar nos lances individuais e fazer golos é um valor emergente do futebol actual.






















































(clicar no quadro para ampliar)

Vicent Paté Aboubakar, nasceu no dia 22 de Janeiro de 1992, em Yaoundé, Camarões, tendo-se tornado profissional de futebol na temporada de 2009/10, no clube onde fez a sua formação, o Coton Sport Garoa, do seu país natal.

Os seus dotes de goleador foram rapidamente reconhecidos em França pelo que na temporada seguinte (2010/11) passou a envergar a camisola do Valenciennes FC por quem alinhou durante três épocas consecutivas, realizando 81 jogos com a performance de 15 golos marcados.

Na temporada de 2013/14 transferiu-se para outro clube francês, o FC Lorient, fazendo 17 golos em 38 jogos, tendo sido apontado insistentemente, no final da época, a Sporting e Benfica.

Mas foi pelo FC Porto que Aboubakar assinou contrato válido por 4 épocas (até Junho de 2018), com clausula de rescisão de 50 milhões de euros.

Tapado por Jackson Martinez, o avançado camaronês não teve muitas hipóteses para mostrar todas as suas inegáveis qualidades, mas quando chamado cumpriu, por vezes com algum brilhantismo, demonstrando ser um jogador a ter em conta.

De Dragão ao peito, participou em 20 jogos (14 Campeonato; 2 Taça da Liga e 4 Champions League) e apontou 8 golos (4 Campeonato; 1 Taça da Liga e 3 Champions League).

terça-feira, 23 de junho de 2015

GOLEADORES PORTISTAS - Nº 108












ROLANDO - Goleador Nº 108

Apontou 17 golos em 175 jogos de Dragão ao peito, ao longo das cinco temporadas ao serviço do FC Porto (2008/09 a 2012/13).

Rolando Jorge Pires da Fonseca nasceu no dia 31 de Agosto de 1985, em São Vicente, Cabo Verde.

Tendo em conta que este atleta foi já alvo de atenção especial, neste blogue, na rubrica "INTERNACIONAIS PORTISTAS", editado em 26 de Dezembro de 2011, onde constam as principais incidências da sua carreira, até aquela data, que podem recordar aqui, vou apenas completar com mais algumas achegas.

A sua estreia com a camisola do FC Porto aconteceu no dia 30 de Agosto de 2008, no Estádio da Luz, frente ao rival Benfica, em jogo da 2ª jornada do Campeonato nacional, com empate a uma bola.

De então para cá, o seu percurso de azul e branco foi muito regular em quatro épocas consecutivas, manifestando qualidades que fizeram dele um defesa central muito competitivo.
































Porém, os êxitos em catadupa subiram-lhe à cabeça e no defeso (Junho/Julho de 2012) manifestou uma clara intenção de mudar de ares. Fez-lo de uma forma nada simpática e até irresponsável, criando algumas incompatibilidades que originaram o seu empréstimo, que se mantém até aos dias de hoje (Nápoles - 2012/13; Inter de Milão - 2013/14 e Anderlecht -2014/15).

Em termos de Selecção nacional, Rolando apenas participou em mais um encontro (5 de Março de 2014, enquanto atleta do Inter de Milão, num amigável frente ao Camarões, com vitória por 5-1), subindo o número das suas internacionalizações para 19.

Tem contrato com o FC Porto até ao final da época que vai começar (2015/16) e o cenário mais provável será a sua venda definitiva, face à aparente indisponibilidade de fazer parte do plantel portista.

Palmarés ao serviço do FC Porto (11 títulos):
4 Campeonatos nacionais (2008/09, 2010/11, 2011/12 e 2012/13)
3 Taças de Portugal (2008/09, 2009/10 e 2010/11)
3 Supertaças Cândido de Oliveira (2008/09, 2009/10 e 2010/11)
1 Liga Europa (2010/11)

Fontes: Almanaque do FC Porto, de Rui Miguel Tovar e Arquivo do Blogue.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

INTERNACIONAIS PORTISTAS (ACTUALIZAÇÃO)

A época que terminou trouxe ao seio da família portista mais um conjunto de internacionais que, ao longo da época, voltaram a ser utilizados nas suas selecções.

Como vem sendo hábito neste espaço, o final de cada época é também tempo para actualizar a rubrica dos Internacionais Portistas (portugueses e estrangeiros), adicionando todos os que, enquanto jogadores do FC Porto voltaram a vestir a camisola da sua selecção mais representativa. Esta temporada foram cinco os atletas (todos estrangeiros) que entraram para esta rubrica.













Martins Indi - Internacional E65: Envergou a camisola da selecção principal da Holanda por 30 vezes (22 pelo Feyenoord e 8 pelo FC Porto) e marcou 2 golos. A sua estreia aconteceu no dia 15 de Agosto de 2012, em Bruxelas, num jogo amigável frente à Bélgica, com derrota por 4-2. Enquanto atleta do FC Porto voltaria a vestir o jersey laranja, no dia 4 de Setembro de 2014, em Bari, frente à Itália, em novo amigável e com nova derrota, agora por 2-0.


Martins Indi esteve presente no último Mundial, disputado no Brasil entre os meses de Junho e Julho de 2014, sendo titular nos 6 jogos disputados.

























Rolando Maximiliano "Bruno" Martins Indi, nasceu no dia 8 de Fevereiro de 1992, no Barreiro (Portugal). Descendente de guineenses, foi viver para a Holanda com apenas três meses de idade, acompanhando os seus progenitores que se fixaram em Roterdão onde arranjaram emprego.

Indi, como quase todas as crianças começou por dar os primeiros pontapés em jogos de rua até se filiar num pequeno clube chamado Spartaan 20, com oito anos de idade. Cinco anos depois foi descoberto pelo Feyenoord onde fez toda a sua formação, até ser integrado no plantel principal e garantir um lugar na selecção da Holanda.

Atleta robusto, possante e de boa técnica, joga com facilidade quer a central como a lateral esquerdo. Aparece com frequência na área contrária em lances de bola parada, para dar seguimento ao seu razoável jogo de cabeça, que lhe tem valido alguns golos.

Chegou ao FC Porto em Agosto de 2014, proveniente do Feyenoord, tendo sido a aposta inicial de Julen Lopetegui para a dupla de centrais. Participou em 37 jogos (24 CN, 2 TL e 11 CL) e apenas não foi utilizado na Taça de Portugal, onde de resto os Dragões foram eliminados à primeira. Somou 3.024 minutos e apontou 2 golos.

Jovem, promissor e ainda com alguma margem de progressão, Martins Indi parece ser um valor em ascenção, com grandes possibilidades de se fixar na defensiva portista.

terça-feira, 16 de junho de 2015

GOLEADORES PORTISTAS - Nº 107












BRUNO ALVES - Goleador Nº107

Apontou 17 golos em 174 jogos em que participou com a camisola do FC Porto, durante as cinco temporadas em que esteve ao seu serviço (2005/06 a 2009/10).

Bruno Eduardo Regufe Alves nasceu no dia 27 de Novembro de 1981, na Póvoa de Varzim. Fez a primeira parte da sua formação no clube principal da sua terra natal, o Varzim Sport Clube, tendo chegado ao FC Porto na temporada de 1999/2000, para jogar na equipa na equipa B, concluindo a sua formação ao longo de três épocas (até 2001/02).

Seguiu-se um período de empréstimos para rodar, passando sucessivamente pelo S.C. Farense (2001/02 a 2002/03), Vitória de Guimarães (2003/04) e AEK, de Atenas (2004/05), regressando definitivamente ao FC Porto no final dessa época.























Tendo em conta que este atleta foi já alvo de atenção especial neste blogue, na rubrica "INTERNACIONAIS PORTISTAS", editado em 19 de Dezembro de 2011, onde consta grande parte das incidências da sua carreira, que poderá recordar aqui, vou apenas actualizar alguns dados.

A sua estreia oficial na equipa principal do FC Porto aconteceu no dia 18 de Setembro de 2005, no Estádio 1ª de Maio, em Braga, frente ao Sporting local, em jogo da 4ª jornada do Campeonato Nacional, com empate sem golos.











Depois de cinco temporadas, 174 jogos e 17 golos, Bruno Alves foi à procura de melhorar o seu pecúlio financeiro.

Manteve-se durante três temporadas nos russos do Zenit (2010/11 a 2012/13) , mudando-se de malas e bagagens para a Turquia para representar o Fenerbahçe, onde leva duas épocas cumpridas (2013/14 e 2014/15), com algumas possibilidades de voltar a Portugal face ao interesse manifestado pelo Sporting.

Em termos de selecção nacional, Bruno Alves parece de pedra e cal no eixo defensivo da turma orientada por Fernando Santos e soma agora 79 internacionalizações (35 enquanto jogador do FC Porto, 30 pelo Zenit e 13 pelo Ferbahçe).