terça-feira, 29 de Julho de 2014

GOLEADORES PORTISTAS - Nº 66












ERNESTO FARÍAS - Goleador Nº 66

Apontou 34 golos em 83 jogos que realizou com a camisola do FC Porto, durante as três temporadas em que esteve ao seu serviço (2007/08 a 2009/10).

Ernesto António Farías nasceu no dia 29 de Maio de 1980, em Trenque Lauquen, Argentina. Avançado com faro de golo, típico «rato da área», estava sempre no sítio certo para fazer o gosto ao pé ou à cabeça, conforme o lance se proporcionava. 

Começou como profissional na época de 1987/88, no Estudiantes de La Plata, clube onde esteve até 2003/2004 e onde se tornou o melhor marcador do Torneio de Abertura de 2003, despertando o interesse dos italianos do Palermo. Aí jogou parte da temporada de 2004/05, mas não foi feliz, optando por regressar nessa mesma época à Argentina para defender as cores do River Plate. Voltou a brilhar e por isso em 2007 ingressou no Toluca do México, ainda que esporadicamente porque a sua esposa não se adaptou ao clima mexicano e Farías não teve outra alternativa que não fosse mudar de ares.

Foi nessa altura que surgiu a possibilidade de jogar no FC Porto. Clube e atleta acertaram as condições, formalizando um contrato de 4 temporadas, a partir de 2007/08.






















«El Tecla», alcunha pela qual ficou conhecido, colocada pelos seus antigos colegas de formação pelo facto de associarem os seus dentes às teclas de um piano, nunca conseguiu ser, de Dragão ao peito, titular indiscutível, mas ainda assim manteve uma média de golos invejável (cerca de um em cada duas partidas), aproveitando bem as poucas oportunidades que lhe eram dadas.

Era um avançado pouco móvel, muito apagado, mas letal na área adversária. Atento e oportunista, explorava como ninguém os erros dos defensores contrários, obtendo bastantes golos à conta disso.

A forte concorrência, primeiro de Lisandro Lopez e Postiga, depois de Radamel Falcao, tiraram-lhe o protagonismo que ele tanto ambicionava, acabando por ser cedido ao Cruzeiro do Brasil, na temporada de 2010/11, num negócio que serviu para garantir ao FC Porto, os 50% restantes dos direitos económicos do defesa central Maicon.








Em Dezembro de 2011 o Cruzeiro emprestou-o ao Independiente, da Argentina, ficando sem clube no final do contrato que expirou em 2014.

Representou por uma vez a Selecção nacional da Argentina, a 3 de Setembro de 2005, frente ao Paraguai, com derrota por 1-0.

Palmarés ao serviço do FC Porto (5 títulos):
2 Campeonatos nacionais (2007/08 e 2008/09)
2 Taças de Portugal (2008/09 e 2009/10)
1 Supertaça Cândido de Oliveira (2008/09)

Fontes: Almanaque do FC Porto, de Rui Miguel Tovar; Base de dados de Rui Anjos; ZeroaZero.pt e Wiquipédia.

domingo, 27 de Julho de 2014

APRESENTAÇÃO DO PLANTEL 2014/15

O FC Porto apresentou hoje o seu plantel para a temporada 2014/15, numa cerimónia que começou com a tradicional Dança do Dragão, um ritual chinês para atrair um bom augúrio, realizado pela escola de artes marciais She-Si, com o  novo treinador Julen Lopetegui a «acordar o dragão».

















Seguiu-se uma coreografia de som e imagem, sob o conceito «Sempre preparados», muito parecida com a cerimónia de apresentação dos equipamentos, realizada na baixa do Porto.

Só depois, apareceram os jogadores, um a um, à chamada efectuada pelo «Speaker» Fernando Saul, para se perfilarem num grande palanque montado no centro do terreno de jogo, com a seguinte numeração:

1- Helton, 2- Danilo, 3- Martins Indi, 4- Maicon, 6- Casemiro, 7- Quaresma, 8- Brahimi, 9- Jackson Martinez (ausente), 10- Quintero, 11- Tello, 12- Fabiano, 13- Diego Reyes, 15- Evandro, 16- Herrera, 18- Adrián Lopéz, 19- Sami, 20- Carlos Eduardo, 21- Ricardo Pereira, 24- Ricardo Nunes, 26- Alex Sandro, 28- Kélvin, 30- Óliver Torres, 35- Defour, 36- Rúben Neves, 39- Gonçalo Paciência, 41- Kadú, 43- Igor Lichnovsky, 44- Opare, 50- Graça, 52- Víctor García e 77- Kayembe.


















Em seguida foi chamada a equipa técnica constituída pelo treinador Julen Lopetegui e os seus adjuntos, Rui Barros, Julen Calero, Juan Carlos Martinez e Juan Carlos Arevalo.

Esta apresentação não tirou todas as dúvidas existentes, mas teve o condão de demonstrar quem já cá não está: os previamente anunciados, Abdoulaye, Josué, Licá e Ghilas, mas também Silvestre Varela. Mantêm-se outras dúvidas. Até 31 de Agosto alguma coisa pode mudar, quer nas saídas como nas entradas. Penso mesmo que este plantel vai ainda sofrer mais algumas alterações.

A festa de apresentação terminou com o jogo de futebol frente à equipa francesa do Saint Étienne, 4ª classificada da última edição do campeonato gaulês.

Perante uma assistência muito bem composta e vibrante (mais de 46.000 espectadores), a festa foi agradável e com momentos interessantes, já o mesmo não se pode dizer da exibição dos jogadores portistas que demonstraram falta de ligação, muitas dificuldades para criar jogo ofensivo e, em alguns momentos, grande desorientação defensiva, algo nesta altura perfeitamente normal. Valeu então o bom desempenho de Fabiano que esteve quase sempre irrepreensível, mantendo a sua baliza inviolável até final do encontro, que terminou sem golos.























Primeira formação, no Dragão:






















Julen Lopetegui vai ter de trabalhar muito, técnica e tacticamente para conseguir explorar todas as qualidades dos actuais elementos do plantel.

Para além de Fabiano, gostei de alguns bons apontamentos de Rúben Neves, Óliver Torres e Brahimi, muito embora nenhum deles apresente ainda os índices necessários para se afirmarem e fazerem a equipa evoluir satisfatoriamente.

quarta-feira, 23 de Julho de 2014

INTERNACIONAIS PORTISTAS ESTRANGEIROS












Juan Quintero - Internacional E62: Envergou a camisola da selecção principal da Colômbia por 7 vezes (1 enquanto jogador do CDC Atlético Nacional e as restantes 6 enquanto jogador do FC Porto). A sua estreia aconteceu em 16 de Outubro de 2012, num amigável, disputado no seu país, frente à congénere de Camarões, com uma vitória por 3-0.

De azul e branco vestido, voltaria a jogar na selecção principal do seu país, para concretizar então a sua 2ª internacionalização, em 14 de Agosto de 2013, igualmente em jogo amigável, disputado em Barcelona, contra a Sérvia, com nova vitória, agora por 1-0.

Quintero passou a ser desde então uma cara frequente nos trabalhos da sua selecção, onde voltaria a jogar, completando até agora as 7 participações e um golo marcado.

Fez parte do plantel que esteve recentemente no Mundial Brasil/2014, onde participou em 3 dos quatro encontros disputados pela sua selecção.





























Juan Fernando Quintero Paniagua, nasceu em 18 de Janeiro de 1993 em Medelin, Colômbia. Fez a sua formação no Envigado, clube sediado na sua terra natal e desde cedo mostrou grandes qualidades, apesar da sua média estatura. Bons pés, capacidade organizativa e visão de jogo tornaram-no num alvo apetecido para os clubes europeus.

Depois de uma passagem esporádica pelo CDC Atlético Nacional da Colômbia, surgiu a oportunidade de jogar na Europa, mais precisamente em Itália, defendendo as cores do Pescara.  Foram no entanto as suas excelentes prestações na selecção, no Mundial Sub-20, que Quintero mais despertou as atenções dos responsáveis portistas que entenderam contratá-lo para a temporada 2013/14, tendo em conta a mais que provável saída do seu compatriota James Rodríguez.

De dragão ao peito, Quintero sentiu grandes dificuldades de adaptação e por isso não lhe foram dadas grandes oportunidades. Participou em 34 jogos, ao longo da temporada, mas só por 6 vezes foi titular e em 4 substituído. Para além destas participações foi ainda utilizado em 1 jogo, ao serviço da equipa B.




segunda-feira, 21 de Julho de 2014

GOLEADORES PORTISTAS - Nº 65












FERNANDO PERDIGÃO - Nº 65

Apontou 34 golos em 128 jogos realizados com a camisola do FC Porto, durante as 11 épocas em que esteve ao seu serviço (1952/53 a 1962/63).

Fernando Júlio Perdigão, nasceu em 11 de Novembro de 1932, em Lourenço Marques (actual Maputo), Moçambique. Foi no clube da sua terra natal, o Grupo Desportivo de Lourenço Marques que  começou a sua carreira de futebolista, tendo sido contratado nos anos 50 para jogar no FC Porto.

Foi um extremo veloz, dotado de boa técnica individual e de razoável capacidade de finalização. Era porém um atleta que se defendia muito das jogadas de maior exposição física e talvez por isso, algo incompreendido e quiçá muitas vezes preterido.

Foi internacional A apenas por uma vez.

Antes de se profissionalizar, praticou em simultâneo a modalidade de atletismo, em várias especialidades, destacando-se no salto em altura, especialidade em que se sagrou campeão nacional.








































Nos finais da década de 60 regressou ao clube que o viu nascer, onde ainda jogou alguns anos, terminando a sua carreira como jogador/treinador do Clube Desportivo Indo-Português, da mesma cidade.

Em 1967 deixou o futebol para a abraçar a profissão de bancário, no BCCI, uma das unidades bancárias mais dinâmicas das Províncias Ultramarinas.

Depois do 25 de Abril de 1974, Fernando Perdigão veio para Portugal, fixando residência em Aveiro, onde viria a falecer em 16 de Fevereiro de 2007, com 77 anos.

Palmarés ao serviço do FC Porto (4 títulos):
2 Campeonatos nacionais (1955/56 e 1958/59)
2 Taças de Portugal (1955/56 e 1957/58)

Fonte: Almanaque do FC Porto, de Rui Miguel Tovar

sábado, 19 de Julho de 2014

FIM DO ESTÁGIO PORTISTA NA HOLANDA















Depois de mais uma semana de trabalho, terminou hoje o estágio fora de portas que os responsáveis do FC Porto programaram para os atletas da equipa principal.

Herrera e Diego Reyes já trabalharam às ordens do técnico Julen Lopetegui muito embora não tenham participado no encontro de preperação frente à equipa holandesa do Venlo, na passada Quarta-feira, com vitória portista por 6-2, jogo que não foi transmitido pela televisão.


















Leemans, na própria baliza, Josué, Ricardo, Carlos Eduardo, Tello e Sami, foram os autores dos golos portistas, num jogo em que os Dragões começaram a perder e só na segunda parte deram a volta ao resultado.

Hoje, na Bélgica, o FC Porto realizou novo encontro, desta vez mais exigente, pois pela frente teve o Genk, equipa mais adiantada na sua preparação, já que o campeonato belga arranca na próxima semana.

Com transmissão televisiva, foi possível aquilatar do momento actual da equipa, que como se sabe, ainda não está definida, tendo em conta as recentes aquisições que ainda não treinaram ( Bruno Indi e Casemiro), bem como a integração dos internacionais que jogaram a fase final do Campeonato do Mundo e ainda não se apresentaram (Defour, Quintero, Jackson Martinez e Silvestre Varela).

















Foi uma exibição positiva mas ainda longe do que a equipa tem de produzir se quiser ser candidata aos vários títulos das provas que vai disputar. A vitória por 3-1 representa o corolário da superioridade evidenciada, ainda que mesclada com momentos de alguma ingenuidade. Os golos foram obtidos por Quaresma e Sami (2).


























Gostei de forma particular das exibições do jovem Ruben Neves, o miúdo de 17 anos que está a aproveitar muito bem esta experiência de trabalhar com os «craques» e de Sami, que se mostrou decidido, rápido e mortífero.












































A próxima semana será reveladora de novidades para o plantel e vai culminar com o jogo de apresentação, frente ao St. Etiénne, no próximo dia 27, pelas 19:00h, no estádio do Dragão.

Entretanto estão também agendados dois jogos a realizar em Inglaterra: 

3 de Agosto - Everton - FC Porto
9 de Agosto - West Bromwich - FC porto

quarta-feira, 16 de Julho de 2014

INTERNACIONAIS PORTISTAS (ESTRANGEIROS)












Nabil Ghilas - Internacional E61: Envergou a camisola da selecção principal da Argélia em 8 ocasiões (2 pelo Moreirense e 6 pelo FC Porto). A sua estreia aconteceu em 2 de Junho de 2013, em Blida, em jogo particular entre a Argélia e o Burkina Faso, com vitória argelina, por 2-0, representava então o Moreirense.

Enquanto jogador do FC Porto, voltou a representar a sua selecção, para concretizar a sua 3ª internacionalização, em 14 de Agosto de 2013, em mais um jogo amigável, disputado na capital do seu país, a cidade de Argel, frente à Guiné Konakri, desta vez com empate a duas bolas.

Fez parte do plantel que esteve recentemente a disputar a fase final do Campeonato do Mundo Brasil/2014, tendo participado em  3 jogos.

Nas 8 participações que leva com a camisola do seu país, apontou dois golos.
































Nabil Ghilas nasceu em 20 de Abril de 1990, em Marselha, França. Sendo descendente de emigrantes argelinos, beneficia de dupla nacionalidade, tendo optado por representar a selecção da Argélia. 

Depois de ter jogado em França, no Stade Olympique Cassis Carnoux, em 2010, Ghilas transferiu-se para Portugal, em 2011 para representar o Vizela. Na temporada seguida assinou pelo Moreirense, onde esteve duas temporadas (2011/12 e 2012/13), provocando o interesse dos grandes de Portugal.

Foi pelo FC Porto que assinou, passando a fazer parte do plantel principal, às ordens de Paulo Fonseca e mais tarde de Luís Castro.

Esteve sempre na sombra de Jackson Martinez e por isso não teve muitas oportunidades para demonstrar as suas reais capacidades de goleador. Nesta primeira época que leva de dragão ao peito, participou em 35 jogos e apontou 4 golos


terça-feira, 15 de Julho de 2014

DE VOLTA AO TRABALHO















Começaram na semana passada os trabalhos de preparação para a nova época, que se aproxima a passos largos.

Depois da grande desilusão que foi a época anterior, os dragões voltam a depositar  a máxima confiança no retorno às grandes vitórias.

A Sad portista, depois de anunciar o novo treinador e sua equipa técnica, procura agora retocar o plantel de forma a corresponder aos anseios do seu técnico.

Garantidos estão, até ao momento 6 reforços: Ricardo (ex-Académica), Evandro (ex-Estoril), Sami (ex-Marítimo), Óliver Torres (ex-Artlético de Madrid, por empréstimo), Daniel Opare (ex-Standard Liége) e Ádrian López (ex-Atlético de Madrid). Outros nomes têm sido associados como possíveis reforços.

Entretanto, com saídas confirmadas estão Iturbe (o Hellas Verona accionou a cláusula de opção, de 15 milhões de euros, do empréstimo da época passada), Fernando e Mangala, para o Manchester City e Fucile, em fim de contrato assinou pelo Nacional de Montevideu. Outros deverão seguir-lhes as pisadas .

A primeira semana foi passada no centro de treinos do Olival, onde as notas mais salientes foram a grave lesão do trinco Mikel Agu, que o afastará dos relvados por alguns meses, e a presença, de algum modo surpreendente, do defesa central Rolando que se encontrava emprestado ao Inter de Milão e que não vai continuar no Clube (Roma parece ser o seu destino).

Durante esse período foram efectuados dois jogos treinos, um contra o Valadares (9-0) e outro contra o Aves (1-0).






















No Sábado passado o plantel, ainda em reconstrução, partiu para a Holanda, onde está a decorrer  o estágio programado antecipadamente, até ao dia 19 de Julho e que contará com dois jogos: o primeiro, na Quarta-feira, contra o Velno (17:30h) e o segundo, no Sábado, frente aos belgas do Genk (17:00h).

São os seguintes, os atletas que viajaram para Horst: Helton, Fabiano, Kadú, Danilo, Abdoulaye, Maicon, Alex Sandro, Josué, Carlos Eduardo, Quaresma, Ricardo Pereira, Licá e Kelvin (do plantel principal da época passada);João Graça, Gonçalo Paciência, Kayembé e Ruben Neves (da equipa B) e os reforços Ricardo, Daniel Opare, Óliver Torres, Ádrian López e Sami bem como o defesa central, aparentemente contratado para a equipa B, Lichnovsky.


























Os internacionais mexicanos Diego Reyes e Hector Herrera, que estiveram no Mundial do Brasil, estão já concentrados com os seus companheiros e treinarão hoje. Os restantes internacionais que ainda gozam férias, depois da participação no Campeonato do Mundo, Defour, Varela, Jackson Martinez e Ghilás, deverão juntar-se mais tarde, isto se nenhum deles mudar de ares.